terça-feira, 16 de outubro de 2012

Capítulo 36

Heyou *-* Depois de tanto tempo, quem apareceu? Hohoho, e o capítulo não tá nem profi, porque foi feito meio a uma semana de muitas correrias, mas espero que gostem mesmo assim s2:


Miley on

Semana de provas. Sim, mais uma depois da última. Trabalhos a toda hora, muitos exercícios e parece que os professores só esperaram o fim do semestre para escancarar na matéria. Tudo ser aprendido na última hora, é o fim. Eu mesma, que não tenho o cérebro da Demi ou do Nick, estou estudando feito uma condenada essa semana. Estudei com o Dav, com minha prima Emi e a gora com a Selena. É, ela não é a menina mais intelectual do planeta, mas é ruim estudar sozinha. E nesse momento, ela está mais preocupada com as ilustrações do livro do que , bem, com a matéria...
Selena: Não ficaria melhor se a tabela fosse mais colorida? Tipo, com uns verdes e lilás mais vivos e também, umas cores fluorescentes e um neon aqui e...
Eu: Sel! - ela parou de encarar ambiguamente o livro e me encarou - Não adianta. Não gasta seu tempo e sua saliva se preocupando com isso, os ilustradores de livros escolares são todo cafonas. A culpa não é sua. Sim, poderia ser melhor, mas não é. Por causa disso, vamos nos focar no que é mais importante, o tex...
Selena: A Taylor, como está? - ela me interrompeu, e ainda pra falar de algo que não convém com o assunto '-' Poxa mano, eu quero passar, e ir pro meio-termo! Enfim, bufei, revirei os olhos e fechei meu caderno , um pouco exaltada, abrindo a boca, enquanto ela não estranhava minha mudança de humor.
Eu: A Leãozinho tá no quarto dela, Selena. Pode ir lá se quiser... - falei, ponto a mão a aceno e ainda sem encará-la, quando ouvi o barulho de seu livro se fechando e seu traseiro se levantando da cadeira giratória.
Selena: Já venho, amiga!
Eu: Não se apresse... - disse, ironicamente, com raiva por ter ficado sozinha mais uma vez pra estudar. E revisando aquela tabela que, puxa vida, Selena tem razão... essas cores não prendem a atenção e... oh, o celular dela começou a vibrar... Eu bem que podia deixar o aparelho continuar  se mexendo na minha cama, se meu senso de curiosidade não fosse tão alto. Estiquei o braço e ao pegar o telefone e tomar ciência da mensagem recebida, pensei que talvez não devesse ter pegado o celular...
"Quando sair daí, vem logo. Tou t esperando. Bgs do seu amor, Nick"
Desgraça! Por que não consigo superar o fato de que eles estão juntos e felizes? Por que??? Ah, diabo. E ainda após fechar a janela da mensagem, seu fundo não foi a melhor visão pra mim.
O que eles sentem um pelo outro pelo jeito é real mesmo, e eu sou só uma excomungada que não merece participar da linda história que eles viverão, não mesmo...

Selena on

Entrei no quarto pacato de Tay e avistei uma bela jovem loira com seu violão, chorando uma canção com sua doce voz...
Tay: ...I see your picture,
I smell your skin on the empty pillow, next to mine.
You have only been gone ten days,
But already I´m wasting away.
I know I´ll see you again
Whether far or soon.
But I need you to know that I care.
And, I miss you. - Nossa, que fofo... Certamente, isso foi pro Taylor! Mas uma coisa que me surpreendeu é o estilo de música a ser cantado, não imaginava que fizesse o gênero da Tay...
Eu: Incubus? - falei, quebrando toda sua concentração e também silêncio. Rapidamente ela parou de se focar no violão e me olhou, ainda de sua cama, enquanto eu adentrava em seu quarto.
Tay: Sim, hm... na verdade eu não sou fã da música deles, mas a letra bem que tem a ver com o que eu tou passando no momento...
Eu: É verdade...
Tay: Am, chega mais. Senta aqui! - ela fez referência a sua cama, e eu me pus a seu lado sorrindo timidamente pra ela. Contei que após essa semana , e com o afastamento dela de todos, nós ficamos tipo que amigas? É, ficamos. Mas isso não atrapalhou minha rotina, não mesmo - E então, qual a boa?
Eu: Vou passar a tarde na casa do Nick. - sorri confortável e ela retribuiu sugestiva - E talvez a noite também...
Tay: Hum, que ótimo, Selena! E então, você acha que agora pode... - seu olhar cresceu, e era óbvio do que se tratava. Confessei a ela meio a semana que Nick nunca e eu nunca tivemos momentos calientes, e ela pareceu realmente chocada... Eu também fico um pouco surpresa, meu ultimo namorado era um tanto quanto selvagem comparado ao atual...
Eu: Não sei... Quem sabe?
Tay: Você quer?
Eu: Sinceramente, não estou me preocupando muito com isso no momento. Nick é um príncipe, e não me importo em ir com calma... Está tudo dando muito certo... Não quero ser dessas que vão com pressa, liberam-se ao extremo com o namorado, pra depois as coisas nem terminarem da melhor maneira... - falei, e sem querer, fiz a carapuça caber perfeitamente nela. Droga, que bosta! - ...Tay, eu não...
Tay: Tá tudo bem, Selena... - ela disse, sorrindo sem alegria e fitando o vazio -... Talvez comigo  e o Taylor nunca fosse pra ser mesmo...
Selena: Não vai me dizer  que eu termino com o cara, ele tem que se tornar primo da Miley faladeira Cyrus e vir na casa dela todos os dias pra namorar contigo, e você pensa que 'nunca fosse pra ser'! Faz favor, vocês são um casal ... Espetacular! E sei, do fundo da alma, que vão além disso! Senão, nunca teriam ido tão além, não é? - disse ,e ela rapidamente se encontrou no assunto. Taylor era uma boa amiga, e passar tempo com ela era agradável... mas ainda tinha minha Miley, que eu deixei estudando sozinha. A coitadinha me pediu pra vir aqui sábado à tarde pra repassar a matéria da prova de segunda, e eu a deixo sozinha. Mas que imbecil maravilhosa, Selena! Me levantei da cama da Taylor me xingando por dentro, ela ainda sem entender - Tay, vou voltar a estudar com a My, e assim que acabarmos lá, retomamos a conversa. Apenas estava com saudades! - soltei, provocando um brilho no canto de seus olhos amargurados. Ela então sorriu, ainda com seu violão apoiado debaixo do braço, e fechou os olhos.
Tay: Claro, vai lá. Estou criando vergonha na cara e coragem pra estudar pra essa praga também! - ri abafado e saí de seu quarto, voltando ao da minha linda loirinha com rosto de Moranguinho e... caraca, ela estava cabisbaixa e realmente distante em seus pensamentos;
Eu: My? - ela me olhou, engoliu seco e retomou cor em suas bochechas.
Miley: Ah... oi, é... Sel... eu... eu...
Eu: Qual o problema? - falei, me sentando em sua cadeira giratória onde estava antes e a encarei da cama, se aproximando de mim, com cara agoniada. Comigo não tem essa de encobrir  amigo tem mais é que falar como está se sentindo pro outro, e se o outro, no caso eu, for um pouco capaz, tenta amenizar a dor.

Miley: Ah, Selena, é só que... Tá tudo uma merda. - abri a boca, mas ela me interrompeu - E não, não tem nada do que você possa fazer pra me ajudar. Eu sei lá, é só que a vida tá tão complicada pra todos e logo na reta final... Digo, essas eram pra ser nossas férias! Logo depois que nós voltamos a nos falar e o Taylor se recuperou do acidente, as coisas eram pra dar uma boa guinada mas, não deu. Não. Pelo contrário. Você já reparou o que aconteceu? O grupo se dividiu! A Emi e o Dav não se misturam, a Demi tá engolindo demais o ar de superioridade dela, uma hora vai engasgar, o Joe tá tão depressivo e a Taylor também, e eu... bom, eu sou eu. Solitária, esquisita, falante, incompreendida e problemática.
Eu: Problemas do coração? - fui direto ao ponto, decifrando seu olhar. Ela não falou nada, mas foi uma rendição pura aquilo - Se você não quer falar, não vou invadir seu espaço... mas já que nós somos um pouco parecidas nesse aspecto, tenta ouvir um pouco de música, que ajuda... Rihanna é uma guerreira e as vezes consegue passar nas letras tudo o que eu não consigo organizar na mente. Loud é incrível, podia tentar qualquer dia... - disse, como quem não quer nada, mas sendo totalmente sincera, enquanto ela se aproximava e me abraçava, sorrindo.
Miley: Valeu por tudo, Selena! E eu não gosto da Miss S&M, mas por você eu vou procurar me aprofundar no trabalho dela.
Selena: Vai ver que valerá a pena, depois! E não tem que agradecer, amiga é pra essas coisas...
Miley: É, eu nunca vou poder me esquecer, tendo você como amiga... - ela sorriu e eu correspondi, e em minha mente eu só pensava o quanto queria ajudar Miley e seu olhar pidão por socorro, e tinha fé que ainda conseguiria...

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Desculpa meeeesmo a demora, tá tenso aqui em casa, e com o final do ano, a preocupação em relação aos colégios do próximo ano e etc e tals vem com tudo aqui. Tá uma bagunça do caramba, mas vou tentar postar ainda essa semana outro capítulo!
A propósito, obrigada por comentarem suas lindas ;{3
Beeeijos, fiquem bem ^^

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Capítulo 35

Hooooooooooooooola *-* Demorei pacas dessa vez, tava muito enrolada, minha mãe ainda arrumou uma ocupação pras minhas tardes e isso ferrou com tudo mesmo D: Mas enfim, consegui trazer o capítulo pra vocês, e espero que curtam:


Joe on

Terça feira. 09:35 da manhã. Auditório. É, eu sei. Parece um script de um filme com péssimo roteiro, mas é apenas minha mente vazia e solitária, que a propósito, desde domingo não consegue raciocinar muito bem. Eu vi Nick ontem, é óbvio, somos irmãos e dividimos a mesma casa... Mas ele também não se pronunciou quanto ao assunto. E na primeira vez a escola essa semana, eu encarava todos de frente. Taylor estava tendo qualquer aula onde não pudesse ver o ex ¬¬, que por coincidência, estava no auditório, sentado perto de Miley e Selena, e com a mente bem distante... Ah, e ouvindo a conversa das maluquinhas, pude escutar que hoje seria a apresentação da Demi, e se não fosse pela boca de cassapa estraga vidas da Swift, ela dedicaria essa música a mim... Mas como não... Ah, também consegui ouvir da Miley que ela escolheu Kelly Clarkson, e deu um duro danado noite passada... Enquanto o tempo passava, a professora ía falando e meus pensamentos tapando suas falas, e assim que vi Demi subindo naquele palco, minha visão se iluminou. Era bom ver seu rosto tão limpo, tão lindo, tão tranquilo... Se bem que por outro lado, ela parecia estar super bem sem mim... E logo abriu a boca. Será que ela vai cantar My Life Would Suck Without You e pedir pra voltarmos *-*? Ah, é claro que não, seu babaca, pára de sonhar e só escuta ela falar...
Demi: ... ela tem uma voz incrível e compõe perfeitamente, e por falar tanto de amor e relacionamentos, eu a escolhi pois, nesse momento, me identifiquei muito com uma de suas músicas, e, eu espero que gostem... - ela fechou os olhos e respirou fundo, e eu vi suas narinas soltando lentamente o ar dos pulmões. Suas pequenas mãos envolveram o pedestal, e logo sua voz saiu. -
...Parece que foi ontem
Você era parte de mim
Eu era tão imponente
Eu era tão forte
Seus braços me segurando firme
Tudo parecia tão certo
Inquebrável, como se nada pudesse dar errado
Agora não consigo respirar
Não, eu não consigo dormir
Eu mal posso seguir em frente

Aqui estou eu, novamente
Estou rasgada em pedaços
Não posso negar, nem fingir
Achei que você era a pessoa certa para mim
Quebrada lá no fundo
Mas você não verá as lágrimas que vou chorar
Por trás desses olhos castanhos

Eu te contei tudo
Me abri e deixei você entrar
Você me fez sentir bem
Pela primeira vez na minha vida
E agora tudo o que restou de mim
É o que eu finjo ser
Tão junta, mas tão quebrada por dentro
Porque eu não consigo respirar
Não, não consigo dormir
Eu mal posso seguir em frente

Aqui estou eu, novamente
Estou rasgada em pedaços
Não posso negar, nem fingir
Achei que você era a pessoa certa para mim
Quebrada lá no fundo
Mas você não verá as lágrimas que vou chorar
Por trás desses olhos castanhos

Engula-me e depois cuspa-me para fora
Por te odiar, eu culpo a mim mesma
Ver você, isso me mata agora
Não, não choro mais por aí
Nunca mais

Aqui estou eu, novamente
Estou rasgada em pedaços
Não posso negar, nem fingir
Achei que você era a pessoa certa para mim
Quebrada lá no fundo
Mas você não verá as lágrimas que vou chorar
Por trás desses olhos castanhos .
- Cara, como a voz dela é linda. Já tinha a visto cantar na igreja, e em momentos de zoação do final de semana mas agora, é... Wow... E a escolha da música foi, indescritível. Ela cantou a todo momento olhando pra mim e eu não pude deixar de me sentir o maior imbecil do mundo, que é o que eu sou. Ao fim da música, todos estavam aplaudindo de pé, inclusive o primo, e a loira&morena que conversaram quase que a apresentação toda. Me levantei também e não pudemos evitar nos encararmos. Era tenso pra nós agora, principalmente após essa declaração, a pior de todas, mas infelizmente , a mais verídica. Me sentei após terminarem os aplausos, e fiquei fitando o vazio, pensando em cada besteira que eu já fiz, e cada erro que eu cometi com minha Demi, não mais minha... Logo, meus olhos estavam marejados outra vez e com a mão na frente do rosto, permaneci ali...

Demi on

É, eu sou fraca. Incrivelmente fraca. Não consegui ficar mais um segundo após a canção no palco encarando Joseph, apenas saí e sem querer, tive meu rosto molhado outra vez. Coloquei minhas mãos sobre ele, ninguém poderia nem iria me ver chorando. Muito menos o Joseph, e principalmente após essa música... Não é essa a mensagem que eu tento passar, e que eu vou passar. Alisei minha face com a mão, apertei os cabelos e os mexi um pouco, aproximando das bochechas e expirei todo o meu ar, e pesar junto. Me pus em perfeita postura, e segui andando pelo corredor da escola. Dane-se a aula de música, até porque tenho quase certeza que ela já findou mesmo. E então, prosseguindo os passos, tive Miley, Selena e Taylor andando rápido em minha direção e em seguida, sorrindo pra mim.
Miley: Você foi...
Selena: ...Perfeita!
Taylor: Eu não sabia que eu tinha uma prima artista! Você vai ser cantora, Dê?
Eu: Não, me encontro melhor na medicina. Mas de qualquer forma, obrigada. E obrigada também, meninas. Se vocês não fossem perfeitos puxa-sacos eu até acreditava e...
XxX: Hey Demi, mandou benzão na aula hoje... - uma loirinha que faz algumas aulas comigo e passava pelo corredor falou. Eu coloquei as mãos no coração e sorri agradecendo, e My, Taylor e Selena me encararam superiormente.
Eu: Isso foi gentil. Ela é uma boa menina. Foi apenas uma apresentação normal e...
XxX: Behind These Hazel Eyes é minha música preferida. Fiquei com raiva no começo por ter escolhido ela, mas logo dei o braço a torcer, você fez uma apresentação brilhante! - outra garota que fez a aula comigo passou e disse.
Eu: Oh, obrigada!
Taylor: Tá vendo? 
Miley: Ah, deixa ela, gente... A modéstia da Demi só não é maior que a minha fome. Tirando isso, essa nunca vai acreditar que foi tão boa... - ela dizia pro moreno e pra morena que estavam a seu lado direito, e fingia que não me via.
Eu: Eu tou aqui, tá bom? E te ouvi. E a propósito, obrigada mesmo. É importante saber que  vocês acharam isso, de coração...
Selena: Sim, foi lindo. Devia cantar mais vezes... - ela falou, e eu a retribuí sorrindo.
Miley: Okaaaay, mas agora, esses dois e eu vamos a cantina!
Selena: Mas por que, My? - ela perguntou confusa.
Miley: Porque eu tou com fome, e preciso de um lanche. - Taylor e Selena a olharam fartos - Vem conosco, Dede?
Eu: Ah, não... eu quero ficar sozinha agora. Vou estudar um pouco de física...
Selena: Quem estuda física nas horas vagas?
Taylor: Não tente entender minha prima, Sel... Por favor . E, vamos logo comprar seu lanche, Miley... - ele falou pra ela, os três se entreolharam e em seguida pra mim, e eu sorri para todos.
Eu: Vão lá. Eu vou ficar aqui...
Miley: Tá bom, besooos, minha estrela! Simbora, gente... Ah, eu falei que... - eles seguiram andando em frente e conversando. Era realmente bom ver os três juntos, e principalmente meu primo bem cuidado e aparentemente feliz, depois de tudo aquilo. Segui andando e vi alguns caras do corredor até a sala piscando pra mim, mas os descartei. E quando estava quase entrando na sala, quem eu menos queria ver cruza meu caminho, literalmente.  Olhei-o séria, assim como ele o fez, num tom mais arrependido, e quando ía prosseguir andando, ele me tocou. Arrogantemente, voltei meu rosto bem superior na sua direção e o encarei.
Joe: Demi...
Eu: Hum... - o encarei fria e sem nenhuma alegria no rosto, embora estivesse sentindo completamente o oposto pro dentro. Ouvir a voz do Joe chateado é de matar...
Joe: Você foi fantástica. Maravilhosa mesmo... Eu tou fascinado até agora com a sua voz, e também, com você...
E: Obrigada. - tentei não me comover fácil, e parece estar surtindo efeito até agora.
Joe: E Demi, a gente pode falar sobre...
Eu: Joseph, será que você se lembra de quando eu você havia morrido pra mim? - ele abaixou o olhar,e engoliu seco, enquanto ainda mantinha minha pose - Pois então, com licença. - falei, e balancei meu braço cuja mão dele ainda repousava, e entrei na sala. Pode soar bobo, mas essa foi uma das coisas mais dolorosas para mim, durante toda a minha vida. Ignorar o Joe não seria fácil, nem tranquilo, porém necessário, muito necessário de agora em diante.

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Taí, gente!
E agora eu tenho afiliados *-* ( Créditos de inspiração: baby_monster) Se quiserem se juntar, é só falar aqui embaixo ;{)
Beeijos, e comentem, por favor s2 

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Capítulo 34

Oiiiiiiiiiiiie, chegando pra outro capítulo (não, pra postar a previsão do tempo ¬¬')
Anyway, tenho que agradecer os comentários. Vocês são maravilhosas *-*
baby_monster, não há problema em afiliar os blogs, pelo contrário, seria ótimo >< Mas eu não sei como se faz (não ria, please). Entra em detalhes aqui? Obrigada desde já ;{)

E sem mais delongas, le capítulo:


Miley on

Ai ai, o dia hoje até que foi bom! E rápido. Incrível como você perde a noção do tempo na pista de kart e revezando entre Burger King, Mc Donalds, FreshMeal e Subway... Shopping é realmente a oitava maravilha do mundo. E em parte, minha alegria era por ver minha Demi não tão cabisbaixa... Lógico, suas gargalhadas de bebê não eram as mesmas, mas só o fato de não vê-la chorando, e deitada em seu quarto melhorava minha vida. Juro pela minha vida que não vou deixar nada magoar ela ou o Taylor, mesmo que o segundo esteja de mau comigo... Então, descansando no sofá após chegar exausta em casa, eu e Demi ainda bebíamos nossos milkshakes e ríamos ao ver nossas fotos tiradas hoje...
Demi: ...Essa ficou linda! - ela falou, apontando para a quarta imagem na folha.
Eu: Todas ficaram lindas, eu e você estamos nelas, Demi! - falei, mandando beijo pra ela e a fazendo sorrir. E logo em seguida, fitar o vazio, pensativa como ela agiu algumas vezes hoje...
Demi: Você tá me dando uma força e tanto, My... Nem sei como agradecer, ou retribuir... - ela falou olhando para mim, com um pequeno sorriso entre os lábios.
Eu: Acredite em mim, sua amizade compensa demais! - falei e nos abraçamos, pela milésima oitava vez no dia. Não sou lá essas coisas de melosa e romântica, mas a Demi tá carente e triste então... é plausível. E o abraço podia continuar, se a campainha não tocasse nos assustando um pouco. Minha alma não esperava por nenhum barulho, rs - ...Eu vou! - falei, me levantando do sofá e ao abrir a porta, uma boa surpresa - Olha quem resolveu dar as caras!
Taylor: Que bom que você que abriu a porta. Te liguei o dia todo, mas não consegui entrar em contato...
Eu: Interditei meu telefone. Hoje meu dia foi 100% dedicado a sua prima. - falei, sem muita expressão. Ainda não sabia como estava a relação Taylor/eu.
Taylor: Bom... My, me desculpa por ontem... eu sou idiota e não sei o que...
Eu: ...o que dizer na hora da raiva.Tudo bem, já estou acostumada com seu jeitinho peculiar de ser...
Taylor: É sério. Vim pedir desculpas. Você é minha melhor amiga e eu realmente compreendi o fato de você não ter me contado, não tem nada a ver com a história... Agora só me diz que vai ficar tudo de boa novamente com esse babaca que age por impulso e depois se arrepende... - ele falou freneticamente e com arrependimento e tristeza no olhar, e eu o abracei carinhosamente, sendo retribuída por dois fortes e desesperados braços que me envolveram a cintura.
Eu: Claro que vai. Aliás, tudo sempre esteve. Porque esse babaca que age por impulso é o melhor amigo da face da Terra e eu sinto uma baita falta da amizade dele, mesmo com menos de 24 horas de distanciamento! - ele riu entre o abraço , e então nos desgrudamos - Vai querer entrar?
Taylor: Tua prima tá aí?
Eu: Sinceramente, eu não sei. Mas creio que não, cheguei faz dez minutos do shopping com a Demi e não houve nenhum manifesto aqui em casa. Mas tem milkshake de baunilha. E então, entra? - disse mais convidativa e pulando os assuntos sem pausas. Ele me olhou sorrindo de lado, e tornou a falar.
Taylor: Não vou ficar muito, tenho academia pra daqui a meia hora...
Eu: Ah, Rome... - lembrei que ele não queria que eu o chamasse assim -...TayTay, musculação de novo? Achei que tivesse acabado a vigorexia...
Taylor: Não tem botão pra isso, Miley... E não é por causa da vigorexia, eu realmente preciso ocupar meu dia de outras formas, né? - é, agora ele não beija na boca nem faz outras cositas más... Mas é melhor parar de ficar conversando na porta.
Eu: Vaaaaaaaamos entrar logo, Taylor. É cansativo ficar em pé!
Taylor: Falta de atividade física, tou falando... - ele falou, rindo fraco e entrando em casa comigo. Demi assim que o viu levantou-se do sofá e eles se abraçaram por um bom tempo. Os sorrisos dos meus melhores amigos não era tão aberto assim, seus olhos não brilhavam como de costume, mas o fato de tê-los, resistentes, ainda é , digamos que... animador - ...E como você tá, minha rainha?
Demi: Levando... tava preocupada com você! - ela falou, ainda em seus braços. Eles eram realmente muito fofos conversando.
Taylor: Não precisa se preocupar... Eu só, meio que sumo as vezes... - ele falou dando uma risada abafada e eu entrei na conversa.
Eu: Pois é. O safadinho adora dar uns perdidos sozinho... mas agora ele está bem. E eu também, com meus dois BFs, quem não estaria? - falei, os abraçando ao mesmo tempo e sendo docemente retribuída  Mesmo com toda a dor que aguentaram, incrível como a Demi e o Taylor conseguiam ser carinhosos e amáveis no dia seguinte... Incrível mesmo...

Tay on

Pra quem teve uma vida acabada ontem a tarde, até que meu dia hoje não foi tão ruim... Sei lá porque, mas a Selena quis ficar na minha cola o dia todo, e eu não estou reclamando... Foi legal, nós temos até algumas semelhanças e isso francamente, me impediu de abrir um frasco de qualquer remédio e pôr goela abaixo, por tristeza ou por distração mesmo... E agora, ela vinha com dois saquinhos de pipoca em minha direção... É, a praça da cidade o local. E Nick não está junto; ele meio que a 'liberou' do namoro por um dia pra ela ficar comigo... havíamos conversando um monte, e isso serviu como uma terapia pra mim...
Selena: Então, ouvi falar que essa é a melhor pipoca da região! - ela falou sorridente, me entregando um saquinho e já comendo alguns flocos do seu.
Eu: É, minha prima fala isso... - falei rindo - ...Vocês comem igual. A diferença é que você é fofa e educada fazendo isso, e ela não! - disse, e ela riu um pouco mais grave - Sério!
Selena: Não fala mal da Miley, ela é minha boneca. Pode arrotar e falar de boca cheia as vezes, mas é adorável, não dá pra negar...
Eu: Que bom que gosta dela. Sua amizade faz bem a ela. - disse um pouco fora do assunto, a fazendo sorrir timidamente - E tenho que admitir que, hoje , também a mim... Não sei como faz isso, Selena, mas consegue. Consegue deixar as pessoas se sentindo bem, mesmo em seu pior estado...
Selena: Eu tento, né? - ela falou confiante e iniciamos a caminhada em direção a casa - Vai pra casa, agora? Ou prefere ir pra minha?
Eu: É sério, Selena, sua bondade é admirável, mas não precisa ser gentil em tempo integral e, eu tenho que voltar a vida real algum momento...
Selena: Faço isso porque quero, juro. Mas e aí, o que vai ser? Minha casa, ou a sua? - ela falou, e pareceu aqueles cafetões de filmes com conteúdos pesados, mas voltando a raciocinar...
Eu: Segundo meus cálculos, a Demi estará lá em casa, que a propósito, também é a casa dela e tenho certeza que ela não vai achar a coisa mais legal do mundo me ver agora... então, se não for incômodo, a gente pode ir pra sua casa sim...
Selena: Não é incômodo. Minha mãe deve ter chegado do emprego há pouco tempo e o jantar deve estar sendo feito nesse exato momento, você pode jantar com a minha família e depois, assistimos um filme ou mexemos na net... Você decide...
Eu: Ai, Selena. Você é gentil demais. Nossa Senhora,  as vezes penso que não é de verdade! Mas muito obrigada por tudo, e eu espero não estar atrapalhando!
Selena: Vai atrapalhar se continuar falando essas coisas que eu sou bondosa e você incomoda e blah blah blah... Agora vamos logo, se não me engano, hoje o jantar seria comida árabe e eu adoro quando a minha mãe cozinha isso! - sorri pra ela e após enlaçar meu braço no seu, seguimos caminhando para sua casa... Ela realmente era a razão pra eu não querer morrer hoje. De verdade...

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Obrigada por tudo, meninas! E comentem se puder, se gostaram ou não. É realmente muito importante saber a opinião de vocês ^^
E a propósito, tenho que falar que meu pai vai me interditar o notebook por sei lá quanto tempo, mas eu vou tentar dar um jeito ;{)
Beeijinhos, se cuidem ><

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Capítulo 33


Yay \õ/ Mais capítulo!
Sem introduções porque esse, é loooooooooongo .-.

Selena on

O final de semana havia sido o máximo da tensão... Ver os Taylors terminarem brutalmente e saber coisas sobre o Joe que nem imaginava... Realmente, UAU! Não há nada pra descrever, porque eu sou uma pessoa de fora a falar. Pena eu tenho do Taylor e da Demi... mas se bem que naquele domingo, consolando a Taylor, eu senti muito por ela também. Certamente ela não pensava que o Taylor a abandonaria... o lado menos ruim disso tudo é que pudemos nos aproximar mais a partir daquela conversa, e hoje, ela pediu que eu ficasse ao seu lado, já que a melhor amiga e a prima não ficariam, de certo. Então, três minutos antes de tocar o sinal pra aula de francês, eu conversava com Nick sobre como foi presenciar tudo isso, ainda tensa, mas muito menos... Admito que falar com ele me relaxa um pouco, assim como olhar em seus olhos e sentir que ele está ao meu lado.
Nick: Meu irmão é um estúpido, a Taylor não é nada exemplar... Mas eu espero que tudo fique bem, porque, acima de tudo, eu gosto deles, e deve estar sendo uma barra agora na cabeça e no coração deles.
Eu: Como o Joe tá lidando com isso?
Nick: Eu sinceramente, estou assustado. Ele chorou de soluçar noite passada e não comeu nada desde que voltou, ontem à tarde...
Eu: Nossa... - cruzei os braços comovida e olhei pro chão - ... Com a Taylor também não foi nada diferente. Ela cismou que era uma desgraça na humanidade, e que a presença dela só estragava o universo, e que nunca fazia nada de certo...
Nick: Ela não errou muito, né? - ele falou, indiferente, e eu o encarei - Foi mau! Mas... o que rolou depois?
Eu: Bom, eu conversei com ela até tranquilizá-la, e falei o óbvio sobre o Taylor. E que se ela quisesse ainda ter algum tipo de contato com ele, que desse tempo ao tempo, que ele é um cara, antes de mais nada, muito justo.
Nick:E você é uma moça antes de mais nada, incrivelmente maravilhosa, e minha! - ele falou, me dando um selinho, me arrancando o primeiro sorriso do dia.
Eu: Somente sua! - sorri mais uns momentos pra ele e ficamos na troca de olhares, até ver a Taylor atravessando o portão de entrada e me mostrar visivelmente surpreendida - Wow! A Tay veio!
Nick: Quem diria... pra ela, que tudo é pretexto pra faltar...
Eu: Nick, deixa de ser insensível. Vamos ver como ela está!
Nick: Sabe que me preocupo mais com a minha ex-cunhada e com o seu ex-namorado do que com a Swift, certo?
Eu: Não custa nada ser humano e também... - fui interrompida por um toque nos ombros, e ao me virar, percebi a Taylor com uma cara inchada e um sorriso murcho no rosto. Ela não estava com seu habitual rímel de todos os dias e seus cachos estavam um tanto quanto desleixados, mas era hipocrisia minha notar sua aparência sabendo pelo que ela estava passando -...Oie!
Tay: Selena, muito obrigada por ontem. Ter ficado perto de mim, falado comigo e se cansado ali, a sua tarde toda... é, impagável a sua bondade!
Eu: Ah, que isso. Sempre tive vontade de ser sua amiga! - sorri pra ela que, simulou corresponder. Nick então fez um som a boca e cara de importante... tava demorando!
Nick: Caham. Bom, como vocês estão realmente interessadas em manter esse bate-papo comigo,  eu agora vou... - o sinal tocou antes que ele pudesse terminar de falar, e logo, nos dirigimos para nossa aula. Por coincidência, a Taylor também faria a mesma aula que a gente, e ao notá-la tão solitária na sala, me afastei do Nick e sentei perto dela.
Eu: Se importa se eu me sentar ao seu lado?
Tay: Não, na verdade... eu agradeço! - ela falou, tímida, e abrindo o caderno, sorriu pra mim mais uma vez.
Eu: Pode almoçar comigo e o Nick hoje...
Tay: Você não vai participar de um daqueles almoços divertidos e amigáveis com a minha prima?
Eu: Posso abrir uma exceção quando quiser, não acha? - pisquei pra ela e ela pareceu mais alegre, o que é bom, pois mesmo que o pedido da Miley tenha sido só por ontem, vou me manter na responsabilidade de monitorar a Taylor e até, ajudá-la a se recompor.

Demi on

Morta. Esfaqueada. Esquartejada. Abandonada próxima ao lixo. Próxima não, dentro do lixo. Assim que eu me sinto nesse momento... Não consegui dormir noite passada. Chorei muito, rasguei fotos minhas e do Joseph com toda a raiva do meu coração, assim como exterminei a maioria de nossas lembranças... Presentes, cartas, CDs, planos escritos... Rasguei tudo. Meu quarto estava uma verdadeira bagunça, e meu notebook estava ligado com a mais depressiva das playlists: Irreplaceable, Bleeding Love, e até Stronger... Isso porque não gosto da Britney, mas meu estado pedia... E, sendo atrapalhada da minha total depressão mental, Miley entra no quarto, e mesmo tentando, não consegui disfarçar meu estado...
Miley: Demi? - ela pulou todas as cartinhas amassadas no chão, e chegou perto da minha cama, onde eu estava.

Eu: O que você quer? - falei, nem um pouco arrogante como intencionava, mas ela sentiu o objetivo.
Miley: Só ver você, minha princesa. Você sabe o quanto me preocupo...
Eu: Sério? Me surpreende você não ter vindo ficar no meu pé como Emily e David, até o fim do dia...
Miley: eu te conheço e sei a forma que você pensa. Minha companhia certamente não seria bem aceita. E a propósito, ficar com o seu primo foi o meu pensamento. - que droga! Ela realmente conhece a gente  também, é tanto tempo de amizade... Por falar em amizade, preciso pensar em uma forma de não encarar a Taylor no meu dia a dia a partir de agora - Demi? Atrapalho seu momento?
Eu: Não, não... Nunca! - me levantei da cama, passei a mão por debaixo de meus olhos e um preto manchado da maquiagem decorou meus dedos, e me direcionei a ela, a abraçando - Você é uma excelente amiga, Miley. Tem todos os defeitos do mundo, irrita, come tudo que eu planejo fazer, mas ainda sim é uma grande parceira que conhece os companheiros muito bem. Você é uma anjinha! - falei, fingindo um sorriso e ela fazia uma cara convencida, enrolando a língua e retribuindo meu abraço em seguida.
Miley: Você que é! E acredite, tudo isso um dia será recompensado. Todo esse sofrimento, que certamente, não vale a sua beleza. - ela nos separou, e começou a mexer no meu cabelo - Demi, você está péssima, sem querer ofender, e sim, tem seus motivos. mas pensa bem... Vai dar esse gosto, o gosto da derrota, pra quem te fez ficar assim?  - suas palavras faziam completo sentido, e com a Miley falando, impossível eu ficar pra baixo - Anda, ajeita seu cabelo, que é maravilhoso. Tira essa maquiagem do rosto e faz outra ... Aliás, deixa que eu te faço outra! - agora anda, vai, vai lavar esse rosto! - ela me empurrou pelas costas para o meu banheiro, e entrando e lavando o rosto calmamente, fui rindo pensando na maneira dela de falar. Miley era uma ótima amiga, na verdade ela era uma grande irmã, e me ajudava muito quando eu precisava... em pensar que eu nem sempre estive tão aí pra ela... Voltei ao quarto enxugando meu rosto na toalha, e ela com o celular em mãos.
Eu: Fazendo o que?
Miley: Mandando sms pra Sel! - ela falou naturalmente, e voltou a digitar. E involuntariamente, eu sorri - Que foi?
Eu: fico feliz que tenham voltado a ser amigas!
Miley: Sim, nossa amizade é incrível. - ela guardou o celular no bolso - Senta aí! - me sentei na beirada da cama, e ela foi em direção ao armário, pegou o estojo de maquiagem, sentou e o pôs sobre o colo, e fechando meus olhos, ela começou a fazer a pintura.
Eu: As vezes tenho ciúmes de vocês, rs...
Miley: Awn, Dems, não precisa ter ciúme! Eu e Selena já fomos melhores amigas sim, mas hoje não é a mesma coisa. Você, por outro lado, é minha irmã, minha melhor amiga, e eu vou estar contigo em qualquer situação, qualquer ocasião, porque isso já passou de rotina, já passou de obrigação, e eu exerço com a maior felicidade da minha vida. Só te ter, e uma dádiva enorme! - ela falou ainda fazendo a maquiagem e me deixando emocionada.
Eu: Sua chata. Vai me fazer estragar a maquiagem, me deixando emocionada...
Miley: ah, não, pelo amor de Deus, a última coisa que eu quero é que você chore, agora! - ela disse em tom divertido e não me fez chorar. Então, com os pensamentos mais a fundo, me lembrei de alguém muito importante e que eu não sabia como estava.
Eu: Miley... e o meu primo, como está?
Miley: Bem... - não ouvi nada além de gemidos sem terminações concretas -... não tem muito o que declarar, mas eu vou procurar entrar em contato com ele hoje!
Eu: Meu coração tem que saber dele! - e do Joe, e da Tay também. Ah, mas que m... - Há alguém em casa, além da gente?
Miley: Não não, sweetie, todos estão no sistema de ensino médio! - O que? Na escola? Peraí, que horas são? E eu perdi aula? Eu nunca perco aula! Ah. não... - Sei que deve estar se martirizando por perder a aula de segunda-feira, já que é uma excelente aluna e tals mas... além de hoje não ter nada demais na escola, eu quero que você venha dar uma volta comigo ao shopping!
Eu: Shopping, Miley? Segunda-feira?
Miley: É! Você precisa aliviar a cabeça. Roupas e calçados lindos, atrações nos corredores, melhores sorvetes e pipocas do mundo ... o shopping é um lugar maravilhoso! - pensando melhor, até que ela tinha um pouco de razão... E eu precisava pensar em algo que não fosse... - ... Prontinho. A maquiagem tá feita. Agora coloca uma roupitcha da hora pra combinar comigo, lindona. Sair com menina feia é que eu não vou! - ela falou posando, e realmente, estava linda.
Fiz o favor de me aprontar também e nem parecia que eu estava tão partida por dentro...
                                               
Miley: Wooow, que gata. Demi, podia ter maneirado no visual. Eu quero que os caras olhem pra mim, também! - Muito palhaça!
Eu: Sua boba. Eles vão olhar!
Miley: Okay agora, vamos logo. Praça de alimentação e boliche nos aguardam! - ela falou, erguendo o braço animada enquanto saíamos do quarto e um pouco em seguida, de casa. Miley me ajudava mesmo, a não manter a cabeça fixa no dia anterior, e eu nem sabia como agradeceria depois...


*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Done! Grande esse, né? E nem saiu tão bom, mas eu espero que o próximo venha melhor...
Comentem, anjos *-*
Se cuidem, beeijos ;{*

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Capítulo 32


Ladiiies *-* Obrigadíssima pelos comentários, não tem noção do quanto motivam a continuar com a fic, e  graças a isso, tou postando aqui, outra vez, a última parte:

David on

É, a verdade havia vindo à tona... A propósito, eu sabia de tudo. Era tão amigo da Tay quanto do Joe, e digamos que eu dava meus perdidos na época da reabilitação dele/reformatório dela. E após assistir todo aquele espetáculo ao som de 'Take A Bow' (sim, minha mente projetou essa música ao fundo), eu e Emily entramos no quarto de Demi, para acudi la. Ela estava péssima, e com motivos. Ninguém sabia ao certo se aguentaria em seu lugar...
Demi: Saiam daqui, me deem um tempo! Eu só quero ficar sozinha!
Emily: Isso é o que você diz pra si mesma. Mas seu coração precisa de um afago, Dem, nós somos seus amigos e te amamos, e estamos do seu lado, pro que der e vier...
Eu: E seja lá o que você estiver pensando em fazer, a gente tá junto contigo!
Demi:... Eu só quero chorar... - ela disse, desabando, mais uma vez em sua cama, com Emi a abraçando e eu passando a mão por sua cabeleira negra -...e morrer também, não cairia nada mal!
Emily: Ora, não fale besteira!
Demi: Fala sério, Emi... se estivesse em meu lugar, qual seria a graça em viver de hoje em diante? Respondam. - ela falou, soluçando, e deixando eu e Emi sem resposta para dar. A Demi precisaria de muito auto-controle a partir de agora...

Miley on

Aquela havia sido uma das piores cenas que eu já presenciei... Sim, eu já sabia de toda a história. Era a vida da minha prima, afinal. Mas não, eu não me atrevi a contar pois não ia querer ser a dedo-duro, pois uma dessas se intrometeu na minha vida e eu sei como é ter um relacionamento estragado devido a isso, mas enfim... Foi tudo péssimo. Ter saído com Selena de meu quarto, e visualizado o espetáculo de choro do segundo andar em visão para a sala, e principalmente, ver o coração da minha Demis e do meu Romeuzinho serem quebrados assim...Mas também doeu ver minha priminha admitindo seu passado trágico, assim como ter que expulsar Joe da minha casa. Era difícil escolher de que lado ficar, mas certamente eu sabia quem mais precisava de ajuda no momento. E com apenas Taylor e Taylor na sala, ela tentando se aproximar dele, enquanto seu rosto queimava de tão vermelho... Raiva ou mágoa, eu não sei... Olhei pra Selena aflita, e ela me retribuiu da mesma maneira...
Eu: Tenho que falar com o Taylor, sei muito bem o que vem após esse rosto vermelho... Sel, fala com a minha prima, ela agora vai ficar chorando numa deprê, então, põe o olho nela e impede ela de fazer qualquer loucura.
Selena: Tá bom... - descemos as escadas lado a lado, e eu fui na direção dos dois, que estavam frente a frente, ele ainda não a encarando.
Tay:...Taylor, eu...
Taylor: EU NÃO QUERO SABER DE VOCÊ, TAYLOR! Isso tudo foi demais... Eu desisto! Não tem nem palavras pra expressar o que eu tou sentindo por você nesse momento... Repulsa é muito pouco... Dá licença, que eu vou embora, já que essa é a sua casa, também... - ele falou estourado, e ela o encarou chorando muito e sem reação. Nossa, aquilo era drama demais pra um dia só, e uma casa só. Ele ia saindo, mas eu me posicionei de frente pra ele, e a meu fundo, vi Selena tranquilizando Leãozinho, e as duas indo em direção à cozinha.
Eu: Espera, TayTay... vamos conversar. Não vai ser bom pra você ficar sozinho agora!
Taylor: Vai sim!
Eu: Por favor! Não é bom solidão...
Taylor: Eu preciso pensar....
Eu: Você precisa desabafar. Anda, eu sei que tem um monte de palavras sem noção e palavrões horrendos querendo sair dessa sua boquinha linda, porém sem sorriso para estampá-la. Vem, vamos andar pela praça. Essa tarde toda nós dois só iremos conversar! - ele me olhou sem dizer nada, mas fazendo expressão de quem havia dado o o braço a torcer - Ah, eu sei, não precisa falar, eu sou a BF mais linda do mundo! - disse, já fora de casa com ele, tentando o fazer soltar um sorriso, mas no entanto, foi uma tentativa frustrada.
Taylor: Você pode dizer ou interpretar o que quiser, a minha cabeça não vai sair daquele momento!
Eu: Eu sei que não, desculpa... - falei, séria, encarando os fatos.
Taylor: Não precisa se desculpar. A sua intenção não é ruim... Você é muito corajosa por estar aqui, com um completo maluco com vontade de socar a tudo e a todos que vê pela frente.
Eu: Não, eu sou realista. E num mundo realista, eu sei que você é um cara forte, que está abalado e mentindo pra si mesmo, e pondo a sua raiva antes do seu raciocínio, e que vai falar pra melhor amiga agora o que está pensando disso tudo! - ele me olhou, inspirou profundamente, expirou e então sentamos em um banco da praça. Ele então falou realmente tudo o que estava preso no seu olhar. Logo, suas mãos gesticulavam a ponto de dar um falso susto nos pombos que ciscavam o chão, e ele já me olhava mais intensamente, e até de vez em quando, eu dava minha opinião sobre o assunto... Não me surpreendia muito não vê-lo derramar nenhuma lágrima, sabia que era forte e também orgulhoso o suficiente pra chorar sozinho, no banho ou socando seu saco de pancadas... - Taylor, eu, sinto muito. Mas saiba que, de hoje em diante, independentemente de meu primo ou não, ainda te considero membro da minha família e tão próximo de mim, a ponto de que você pode esquecer do mundo, porque eu vou estar aqui por você...
Taylor: Valeu, Miley... mas isso é muito radical. Ela é, sua prima e, naturalmente, você tem que estar do lado dela...
Eu: Não, não num mundo onde eu posso fazer as minhas escolhas. Eu sei, a dor do que você tá passando, sei como é, ter o coração partido e a expectativa de uma pessoa quebrada e... Eu juro, que se pudesse, tomava toda a sua dor, só pra não te ver assim. Dói demais, demais mesmo... - Olhei para o vazio, com a mente inundada de pensamentos, e então, meus olhos transbordaram. Ele certamente percebeu e eu então, tentei disfarçar as lágrimas com a mão.
Taylor: ...Miley... Você... Sabia disso, por acaso?
Eu: ... - essa pergunta foi dolorosa. Não sei se ele vai ficar mais furioso se eu disser que sabia, ou por não ter contado a ele. E como mentir nunca é uma das possibilidades cogitadas por mim, o olhei profundamente e que fosse o que era pra ser -... Sim, sabia. - o olhei com um pouco de pesar, e também dor. Mas realmente, a história não era minha e não tinha muito a ver comigo, e sair como a dedo-duro, certamente, só me traria más consequências  Sinceramente, não havia muito o que explicar à ele, apenas amizade e companheirismo para dar de agora em diante -... Era minha prima, cara. Toda essa história do reformatório que ela morre de vergonha e além de tudo, ela estava querendo te contar faz tempo. Apenas o Joe não deixava, mas... sinto muito não ter contado. Só pensei em não meter o bedelho na confusão e...
Taylor: Você sabia e não me contou? - ele me interrompeu, com a mais confusa e decepcionada das expressões.
Eu: Taylor, mas é que eu...
Taylor: Mas nada! Você tava querendo me ver bolado e feito de idiota que nem os outros dois...Nossa! E você também não falou nada pra Demi, caraca.. - ele me olhou boquiaberto e procurando palavras para pôr na boca -... Não acredito que não me contou antes... Podia ter modificado muita coisa! Desculpa Miley, mas pra mim deu por hoje! - ele levantou, e começou a andar, quando, sem saber muito o que fazer, me levantei e comecei a fazer uma cena andando atrás dele.
Eu: TAYLOR! Não faz assim... Pra onde você tá indo?
Taylor: A nenhum lugar que te interesse. E se você gosta de mim um pouco, ME DEIXA SOZINHO! - ele falou, sem olhar pra trás, mantendo o passo firme e me paralisando, apenas o encarando caminhar.
Eu: TAYLOR! - gritei, ainda parada, expressando raiva, medo, angústia e um pouco de pirraça, e permaneci ali, parada, com um nó enorme na garganta... Ah, meu Deus, o que será que vai acontecer daqui em diante?

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Diana, c'est aussi le vôtre (ignore se estiver um pouco errado, meu francês tá péssimo de uns tempos pra cá) ^^
Comentem, gatinhas e gatinhos ><
Boooa tarde, beijos ;{*

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Capítulo 31


Chegueeei *-* Nem demorei, hihiihi :{)
Espero que gostem:

Joe on

Não acredito naquilo... A Taylor ferrou comigo, e não havia como pará-la. Ao invés disso, fiquei a assistindo feito um completo babaca, com os joelhos na altura do queixo e as mãos juntas, implorando com os olhos a ela que parasse... mas infelizmente, ela não o fez, e de repente , assim como suas palavras, todo o flashback do meu passado veio a minha mente...
~Flashback~
Tay: ...haha, eu não acredito que você fugiu da reabilitação!
Eu: Só pra te visitar, princesa! - o ambiente em questão eram os fundos do reformatório onde ela estava, e eu a ajudava a fugir - Só você pra conseguir ficar aqui! Fala sério, como conseguiu dobrar os porteiros?
Tay: Digamos que eu 'batizei' o chá da tarde deles... - ela deu seu sorriso safado, e eu retribuía,e logo em seguida  dava um tapa em seu traseiro - ... Agora me ajuda, a sair do inferno! Não aguento mais! - ela falou, e eu a apoiava ao atravessar o muro, e assim que ficamos próximos, trocamos um longo e pervertido beijo, e o terminamos sorrindo, com as faces coladas.
Eu: ...E agora eu vou te levar pro céu! - disse, ela ainda com as mãos em meus ombros e nossas testas coladas, quando ela se separa brutalmente, e muda a expressão no rosto.
Tay: ...Tem alguma balinha aí? Rolo, ou dinheiro pra comprar cerveja?  Juro que não aguento ficar com a boca seca...
Eu: Relaaax, trouxe as suas preferidas! - tirei do bolso da minha calça o pote de pílulas de LSD e outros comprimidos que houvera roubado do almoxarifado da reabilitação, e com pressa e gana, ela jogou em suas mãos e rapidamente em sua boca, e parou pra ler o rótulo de alguns.
Tay: Nossa, esses são fortes! - ela falou, impressionada  e voltou a me olhar - Você pensa em tudo! voltamos a nos beijar...
~Flashback~
E aquela cena nojenta foi se desintegrando, ao vê-la parando de falar, pois já voltava a chorar.
Tay: Eu lamento tanto, eu... eu... - ela falou chorando, eu a olhava de canto também arrasado, e Demi e Taylor estavam numa mistura de surpresos, confusos, impactados e desacreditados de cada palavra que saía de sua boca. Mais um pouco ela ia contando, e em minha mente outro momento foi se integrando...
~Flashback~
Tay: ...Incrível como a Demi consegue ser tão babaca as vezes. Primeiro que ela acredita que você está morando com seus avós, e a reabilitação nem passa pela mente dela...
Eu: É, ela é meio lentinha mesmo...
Tay: Por que vocês não terminam de uma vez, e você vem ser livre? - ela falava, rodopiando em cima da mesa, enquanto eu a encarava, meio em transe, em parte devido as drogas e as bebidas já estarem surtindo efeito, e outra parte, devido ao que eu sentia por ela na época - Vem pro meu mundo, Joe! - ela disse sedutoramente, tentando fazer um passo de dança sobre a mesa, mas pisou em falso e tropeçou, não caindo devido a eu segurá-la, e logo em seguida tornamos a nos pegar. Estávamos em um bar, cujo dono havíamos subornado para sair e nos deixar com todas as bebidas, e então sermos um pouco 'felizes'.
~Flashback~
 Ah, droga, como eu odiava aquilo tudo, ter feito aquilo tudo...
Demi: ...Vocês...
Taylor: ...como...
Tay: Por favor, deixem-me terminar, já que eu cheguei até aqui! O pior foi termos feito... - ela engoliu o choro, e eu já sabia perfeitamente o que ela ia contar. Limpou suas lágrimas que escorriam sem parar, assim como as da minha Demi, e prosseguiu a fala. Me lembrei como se fosse ontem, do pior dia da minha vida...
~Flashback~
Eu: ...Nossa, cara. Tem cada pessoa idiota nessa vida... Ainda bem que eu me livrei de algumas!
Tay: Joe, eu tou com um pouco de medo. E se os caras não acordarem? - ela dizia, recolhendo seu corpo atrás de mim, olhando receosa para a visão de três homens ensanguentados desacordados no chão, que eu havia acabado de quebrar algumas garrafas de vidro velhas na cabeça. Estávamos em um beco, após uma briga com outros caras da parada...
Eu: Relaxa. Eles vão acordar. Só quis salvar a nossa pele, loira. Você tem muito o que me agradecer. Agora, vamos dar no pé, que logo eles acordam! - falei ,a puxando pelo braço, sua cara pálida e amedrontada olhando para os homens ainda era intacta em minha mente, assim como o cheiro daquela noite, de cigarros de maconha, Whisky e sangue, e carniça de cachorro, das paredes do beco...
~Flashback~
Tay: ...Esperávamos que fossem acordar e nos procurar. mas não acordaram. Não... nós os...
Eu: NÃO! TAYLOR, NÃO FAZ ISSO! Pára com isso! - disse, e foi impossível impedir as lágrimas de caírem, dessa vez do meu rosto. David e Emily saíram de algum comodo de lá de cima, e Miley e Selena também, e foram todos nos observar, um pouco assustados, sem saber o que estava rolando - ...Você não era pra ter contado isso!
Tay: Por mais quanto tempo eles iam ter que ficar sem saber?
Taylor: Peraí, então isso não é mentira? Vocês... não estão... brincando com a gente? Isso não é nenhum tipo de pegadinha?
Demi: Não, é claro que não, Taylor! -ela falou engasgada no choro, pro primo congelado a seu lado - Como sempre, eu fui enganada pelo Joe! Não consigo acreditar. Aliás, consigo sim... você sempre me faz de babaca, não é, Joseph? - agora ela já havia levantado do sofá e estava em minha frente, não ligando para suas lágrimas ou seu nariz avermelhado - Parabéns! Uma salva de palmas! - ela bateu palmas sarcasticamente, me encarando ainda chorando - ...Reabilitação? Então nunca existiu essa 'morada com os avós'? Bom saber... - ela saiu andando na direção da Taylor, e a olhou de cima a baixo, com muita raiva e tristeza no olhar - ...O que eu não esperava disso tudo, era ser enganada pela minha melhor amiga. Ou pelo menos, eu achava que você fosse! Morando juntas há o que? Quase três anos, pra levar esse tapa na cara, do passado? não acredito que te via como uma criatura santa e imaculada. Eu sabia do reformatório, sabia das drogas, sabia que seu passado era torto... Mas eu nunca ia imaginar uma sacanagem a ponto de você me trair com esse idiota aí... - ela lançou a mão em minha direção -... Muito menos mentir pra mim, por tanto tempo, na cara dura. Nossa, e parabéns pra você também. Matou três pessoas? Isso era demais pra minha capacidade de raciocínio. Eu realmente, sou a menina mais estúpida e idiota do mundo! Se me destruir e acabar com tudo que eu considerava valioso na minha vida era o que vocês queriam, meus parabéns, mais uma vez, vocês conseguiram! - ela falou, chorando demais, e indo a caminho das escadas, quando eu pus a mão em seu braço, para falar com ela - Não me toca, Joseph! Vocês dois, estão mortos pra mim. Pra sempre! - ela se referiu a mim e Tay, e subiu as escadas rapidamente, e Emily e mais alguém foi acudi la... Acredite, não estava muito bem no momento pra associar os rostos exatos as pessoas... E então, eu olhei pra infeliz da Taylor mais uma vez, com vontade de xingá-la de todos os nomes possíveis, mas não o fiz. Engoli tudo o que tinha pra falar, pois seu namorado já se posicionava de frente a ela.
Taylor: Isso tudo... realmente aconteceu. Nossa, cara, eu não sei nem o que falar. A ficha ainda não caiu pra mim... Você me falou que não se orgulhava do que já havia feito, mas isso não chega nem perto do termo vergonha... Eu sinto nojo de já ter tocado em você um dia... - ela olhou pra ele e abriu a boca, mas nenhum som saiu, apenas lágrimas inundavam sua face -... Olha, você não precisava ter me falado isso, você não me deve nada. Mas à minha prima, ela merecia essa consideração... Eu não tenho o que falar com você... Apenas, não cruza o meu caminho, nunca mais, por favor!
Tay: ...Mas você disse que me amava... - sua voz saiu mais aguda do que ela desejava.
Taylor: É, mas tudo tem limite. E amor e respeito caminham de mãos dadas... E a propósito, o amor pela minha prima vem primeiro! - ele falou, saindo de perto dela, sem a encarar,  nem demonstrar nenhuma emoção - E quanto a você... - ele se preparou pra falar, mas apenas me olhou nos olhos e mordeu parte do lábio - ... Melhor amigo? Nem no inferno. E é lá que você devia estar, Joseph. Sempre decepcionando... Satã deve estar orgulhoso dessa sua alma sem espírito... - Estava realmente incomodado com ele empregar religião nisso, mas no momento, não conseguia debater com mais nada. Minha mente estava muito turbulenta, e a visão de várias pessoas ali, e também após tudo  que acabara de acontecer... Nossa... Apenas desejava sumir dali - Se não for incômodo, já que a casa não é minha, seria bom que você saísse do mesmo ambiente que eu!  - olhei pra todos os cantos possíveis de relance, e então vi Miley me 'expulsando gentilmente' com o olhar, e rapidamente, entendi. Me dirigi até a porta e, ainda chorando, os encarei.
Eu: eu sinto mu...
Taylor: VAI EMBORA! - ele gritou, e eu fechei a porta, com tristeza, arrependimento, infelicidade e remorso escorrendo pelos olhos, e uma quebrada grande no coração.

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Taí, a segunda parte. Também dedicada a Di *-*
Beeeijos, fiquem bem ^^