domingo, 25 de setembro de 2011

Capítulo 19 parte 3

Heey! Aproveitando o domingo com tempo feio, vim aqui pra postar a 3ª parte do capítulo... também sinistra:

Nick on

Eu tinha acabado de voltar da casa da Selena depois de uma conversa incrível, e ao entrar em casa, vejo o Joe sentado no sofá com cara daqueles protagonistas de filmes de drama… ele teve um baita azar, mas também, tava fazendo a Demi sofrer tanto, que eu não crucifico o Taylor por estar fazendo isso com ele… se bem que essa cara dá pena… ARGH! Por que eu tenho que ser tão coração mole???
Eu: Diz aí, cara… - falei, tentando me aproximar, dando um toquinho em seu ombro. Ele me olhou com a maior expressão de desgosto… nossa, o Joe seria um bom ator… tá bom, parece que ele não tá atuando… -… qual é a boa?
Joe: Nenhuma! Não tem nada de bom na minha vida… tudo virou de cabeça pra baixo, e não parece que vai desvirar mais… tá o caos isso, Nick! – ele punha as mãos na cabeça, e a sacudia bruscamente, enquanto eu me sentava na pequena poltrona da sala, que ficava em frente ao sofá onde ele estava.
Eu: Cara, eu odeio ser chato mas… eu te avisei! Você tava achando que era tipo ‘O que os olhos não vêem, o coração não sente’… pois bem… e nem foram os olhos dela que viram!
Joe: Eu vacilei…
Eu: Demais!
Joe: E sabe o que é pior? Eu sinto a falta dela, o tempo todo! Era incrível… eu ficava com todas as outras, as achava lindíssimas… mas, a Demi era… era… mais do que uma atração… sabe, cara…ela, era especial pra mim…
Nick: Joe, meu parabéns… você sente o amor!
Joe: É! E é algo bom, algo extraordinário… você fica otário, esperto ao mesmo tempo… você não precisa agradar ao mundo todo, contando que agrade a pessoa que você ama, você… você…
Nick: Você ama! Só isso já resume! A propósito, podia falar isso pra Demi… mas, de coração, não, ‘textinho ensaiado pra encantar as garotas da lanchonete’… profundamente… ela gostará de ouvir isso! – eu sorri pra ele, que, entre as feições de desespero, formava um olhar esperançoso… e de repente, algo em meu bolso vibrava… pus a mão, e logo estranhei ao ver a foto do Taylor na chamada… ele era pra estar num encontro com a Taylor, não? Enfim, deixa pra lá… - Alô? – perguntei, pondo o telefone no rosto.
XxX: Alô, Nick… Nick por favor me ajuda aqui! Eu tou morrendo de tanto desespero… já tentei sair, mas a porta tá trancada… e ele tá em cima das chaves… ai, me ajuda, pelo amor de Deus… - ok! Com certeza, não era o Taylor…
Eu: Taylor? Você tá chorando? A-aonde você tá?
Tay: Não tou muito longe de casa… umas duas quadras talvez… mas eu não consigo sair do carro… por favor, me ajuda Nick… vem cá! O Taylor tá desacordado… o carro rodopiou aqui na rua… vem, po-… - ela havia parado de falar. Talvez a ligação tenha caído, os créditos acabado…ah, eu não sei… mas isso foi muito confuso… aff, que se dane, eu tenho que ajudá-la… parece ser sério mesmo… me virei, com o celular desligado e flutuando em meus pensamentos, quando Joe me encarava sério e confuso…
Joe: O que foi? O que ele queria?
Eu: Não era ele, e sim ela! Joe, rápido… aconteceu algo muito horrível com o Taylor e a Taylor,há duas quadras daqui! Eu vou ver lá e acudir!
Joe: Vou com você!
Eu: Não! Fica, e avisa aos outros… avisa a todos os nossos amigos! – falei, frenético, pegando meu casaco no porta-chapéus (?) e já quase saindo, quando ouço sua voz…
Joe: Cara! Eu sou o odiadinho de todos… eles não vão querer me ouvir!
Eu: Dá o seu jeito! – falei, sem misericórdia, saindo de casa batendo a porta. Pensei até em ir correndo, mas de carro era mais rápido… tirei-o da garagem e dirigi procurando pelo Porsche do Taylor… missão difícil, essa… num bairro tão movimentado…

Joe on


Beleza…eu tava triste, sozinho e ferrado… ferrado, por ferrar a parada do meu irmão… já tinha ligado para a Miley mais de 6 vezes, e ela não atendia… cara, ela não aceitou mesmo o lance com a Demi… mas o engraçado é que ela sabia… ah, Deus, e agora? … AH! Peraí, já sei! Já sei alguém que vai se preocupar com o Nick, com o Taylor e com a Taylor! E não vai me apedrejar! Era isso, só tinha que pegar o carro, dirigir até sua casa… que mesmo com o passar dos anos, não mudou nada… agora… é só tocar e…
Selena: JOE? Nossa, as pessoas sem amigos tão adorando me ter como segunda opção! – ela olha pra baixo e em seguida me encara…
Eu: O que?… ah, deixa pra lá… Nick, Taylor e Taylor precisam da sua ajuda! Vem! – eu a puxei da porta de casa, a assustando, e a pus em meu carro rapidamente dirigindo em direção a casa das garotas, meio a suas perguntas já de se esperar -… só fica quietinha, entra lá, você se dá bem com a Emily e com o David! Tenta avisar também a Demi, e a Miley!
Selena: AVISAR O QUE? VOCE TÁ ME ASSUSTANDO, GAROTO! – ela dizia, nervosa e amedrontada me encarando. Caraca, agora, olhando de perto, o sorrisinho da Selena é bem torto… ai, que nojo!
Eu: Você também tá me assustando, mas a gente não tem tempo de medir feiúra! Vem! – saí do carro, abri a porta pra ela e a puxei da lá, já a lançando contra a porta da casa das meninas.
Selena; Tá doido? A Miley vai me incinerar se me vir na porta da casa dela! – ela sussurrou pra mim, sentado na beirada do carro.
Eu: Tou nem aí! Ó… - cruzei os braços, e indiquei com a cabeça pra ela olhar a porta, e Emily a abrindo… Selena se mostrou confusa e até burra pra explicar… mas isso era normal ¬¬’ e depois de um tempo, a cara de desespero da Emily entrando em casa, e trazendo David, Demi e Miley para fora também desesperados… a Miley fez uma cara de nojo ao ver a Selena, que fez uma cara de desgosto pra retribuir… logo, a dentucinha apontou pra mim, do outro lado da rua, e todos a encararam sérios, seguindo em minha direção… okay, já não entendo mais nada.
David: O que está acontecendo, Joseph? – ele disse, como todos os outros, com exceção da Selena, a me encarar.
Eu: eu não sei, sinceramente… o Nick recebeu uma ligação da Taylor chorando e pediu ajuda pra alguma coisa… ela e o Taylor tão em apuros… o Nick foi tentar ajudar, e pediu pra eu informá-los…
Emily: e isso é verdade ou mentira? – ela me olhou cinicamente, eu devolvendo.
Eu: entra aí, cara… não é por mim, e sim por eles! – abri a porta de trás do carro, e todos entraram com um pouco de raiva… a Demi sem entender muito; sinto falta dela… e a pôia da Selena não conseguia abrir a porta do lado do passageiro… - entra aí, sua… pessoa! – abri a porta pra ela com pouca paciência, e no caminho, que pelo que entendi era duas quadras da minha casa… todos falavam ao mesmo tempo fazendo perguntas sem nexo… o telefone tocava, não parei de dirigir pra atender… apenas o puxei do bolso e coloquei perto do rosto – Alo?
XxX: Joe, aqui é o Nick… mas isso você já sabe… bem, eu tou querendo te informar que eu e a Taylor estamos no hospital perto da praça e que é pra você vir pra cá, agora! Tchau! – e, antes que eu falasse mais alguma coisa, o corno tinha desligado na minha cara… guardei o telefone e olhei curtamente pra trás -… Mudança de planos! Nós vamos pro hospital ao lado, Nick e Taylor tão lá!
Miley: Você tá curtindo com a nossa cara, Joe? Já tá apertado aqui, e, eu tou respirando um ar contaminado… - notei a indireta pra Selena -… você ainda precisa mudar o curso?
Eu: Cala a boca! Quem tá necessitado é o seu amigo, não eu! Então, fica quietinha! – eu continuei dirigindo mais um pouco, e , caraca, é realmente longo o caminho de casa até o hospital…

Tay on

… Eu tava desesperada… nesse momento, Nick e eu estamos sentados na sala de espera, nenhum dos dois pôde entrar, porque não é parente do Taylor… ele foi pra emergência… nossa, Foi horrível… eu não sei como aquele carro foi curvar de tal maneira… o carro se estraçalhou todo, e o Taylor também… aa, ver ele todo ensangüentado foi péssimo… não agüentei e comecei a chorar, tremendo e lembrando-me do passado horrível… não podia perdê-lo também… não mesmo…
Nick: Fica calma, Taylor… vai dar tudo certo! – ele dizia, pondo os braços ao meu redor, um pouco desconfortável…
Eu: Tomara, né, Nick… eu não aguento outra perda na minha vida… se acontecer algo com ele eu juro que me mato! – falei, chorando muito…
Nick: shhhh… nada vai acontecer com ele!
Eu: Ah, não? Você viu o estado dele? Ele tava desacordado, e o vidro todo caiu em cima dele… por que ele não tentou curvar pro meu lado??? Por quê? AAAA NICK QUE ÓDIO!!!!!!!!!!!! – eu gritei, afastando ele de mim.
Nick: Okay, você tá alterada… vou pedir um copo d’água pra enfermeira! Fica calma, Taylor, é sério! – ele saia de perto me olhando preocupado, enquanto eu aumentava meu choro e cruzava os braços, esfregando uns aos outros… aquilo não podia tar acontecendo…
*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Okay... essa parte tá estranha, né? Relaxa que depois melhora!
Obrigada a quem tá lendo ;D

Espero que gostem!
Beijos!

sábado, 17 de setembro de 2011

Capítulo 19 - parte 2

Olá! Dessa vez demorei a postar, mas aposto que foi bom o tempo sem incomodar ;D
Capítulo:


Selena on

Eu estava arrumando a casa descompromissada, bem quando a campainha tocou. Fui atender, sem capricho algum, e quando percebo quem era… arrependi-me completamente de estar usando avental…
Eu: Nick… oi… eu…
Nick: Oi, Selena! – ele me abraçou surpreendentemente, e se recompôs – Tem tempo?
Eu: ah, claro, sempre tempo para os amigos! Entra! – estendi a porta, larguei o espanador e passei a mão pelos cabelos, apontando pro sofá e me sentando junto com ele ¬ E então, o que tá pegando?
Nick: Eu, ninguém! Eu só queria desabafar… e como você sabe, não tenho muitos amigos… o Taylor saiu e bom, você tava aí, eu acho que a gente já tá bastante íntimo então…
Eu: Com certeza, pode se abrir comigo! Fala o motivo pra sua carinha triste de todos os dias… - ele engolia seco, me olhava sorrindo sem felicidade e começava a falar… o Nick era um rapaz incrível, cada momento próxima a ele eu o admiro mais, e também a mim -… Nick… você não é o único que sofre por amor… eu também passo por isso…
Nick: É sério? Quando?
Eu: Duas vezes eu já me encontrei assim… uma delas pelo Taylor, quando a gente terminou… apesar de doer, eu sabia que não fazia mais sentido continuarmos num relacionamento sem sentimentos da parte dele…
Nick: Como você fez pra superar?
Eu: Eu meditei… pensei nele… e compus umas músicas, rs… - rimos juntamente e ele voltou a me olhar abatido.
Nick: Legal você compor… bem, e a outra vez? … afinal, foram duas, né!
Eu: Meu, a outra vez ainda não foi superada… e acredite se quiser, vai ser muito difícil curar! Até porque envolve mais de uma pessoa que eu gosto…
Nick: Então, são dois caras? – ele me olhou assustado, enquanto eu ria.
Eu: Não, hehe… o cara eu gosto, mas não sou só eu… então, é melhor seguir em frente, né?
Nick: Até porque uma menina linda que nem você deve estar com a fila cheia! – olhei pra ele admirada.
Eu: Você acha?
Nick: Claro, alguém tão cercado de qualidades como você e ainda por cima admirável… – ele suspirou –… a pessoa que tiver seu coração vai ser alguém de muita sorte, Selena!
Eu: Eu digo o mesmo! – nós nos olhávamos involuntariamente, e sorríamos aos poucos… a nossa amizade estava desenvolvendo, acredite se quiser…

Tay on


Aquilo tudo era muito horrível… eu não gosto de lembrar nem um pouco essa parte da minha vida, mas ele precisa saber… doía tanto minha garganta, porém eu não ia deixar de falar…
Eu: … Taylor, como você deve lembrar, a Miley comentou que eu já fui pro reformatório e bem, eu tinha 14 anos na época… era um ser totalmente repulsivo e superficial, não sabia dar valor a família, aos amigos ou aos sentimentos das pessoas… por conta disso, então, eu fui pra lá…
Taylor: Pro reformatório?
Eu: am… ram… - mais lágrimas saiam, e perambulavam em minhas bochechas, e sem as secar, engoli seco e continuei falando -… isso não adiantou! Eu… eu… fugi, certa noite… com um amigo, também detestado pela minha família! … - o choro se desesperou -… mas o que eu não ia imaginar é que, - funguei -… nesse mesmo dia… meus pais iam se arrepender de terem me colocado lá… eu… sou tão suja e hipócrita!… Enquanto eu tava lá, num beco sujo, cheio de idiota dançando, ficando e se drogando, eu uma deles… meus pais e meu irmão morriam num acidente de carro no meio do caminho… - expirei, com o rosto encharcado. Ele ainda sem reação -… um caminhão de carga estava com dois dos pneus furados, e parou no meio da estrada… eles vinham tão distraídos, felizes com a idéia de me ter em casa de novo… mas eu… eu só sou tão imunda, imprestável, ridícula… meu histórico de vida é péssimo, horroroso, Taylor… me perdoa! Você não merece uma pessoa mundana feito eu… - eu disse, chorando cada vez mais e tampando o rosto, enquanto sentia seus braços ao meu redor…
Taylor: pára… você não é nada disso… e eu sinto muito pela sua família… quem é ridículo sou eu, que vim perguntar algo tão inconveniente… vem cá, fica calma… ai, você tá tão distante… - eu não queria olhá-lo, acho que não conseguiria nem se quisesse… mantive-me no mesmo lugar, sem mover uma palha do banco… coitado, ele realmente tentava se aproximar de mim… e então, ouvi uma interjeição que não me era estranha… tentei levantar a cabeça pra olhar, quando vi apenas seu joelho sobre a marcha, minha cabeça doía tanto… ainda sim olhei mais pra cima, e o vi tentando entender o porque do barulho… toquei em sua perna, que assustada, se forçou mais, e seu outro pé, no pedal, não foi o suficiente para governar o carro, que agora dirigia descontroladamente…ah-meu-Deus! O carro tá em movimento! De repente, meu coração acelerou, começou a escorrer suor por todo o meu corpo, eu fiquei sem falar… e quando meus olhos iam notar o Taylor desesperado tentando reverter a manobra… o que tinha de pior pra ocorrer, aconteceu…

David on

Já fazia mais de vinte minutos que eu aguardava a Emily na sua sala. Ela havia ido se arrumar pra sairmos… Com certeza essa minha investida no nosso namoro só fortaleceu as coisas… e, mesmo eu não esperando nem pedindo, a Miley desceu as escadas…
Miley: ♪Mo-mo-mo-moranguinho, mo-mo-mo-moranguinho, mo-mo-mo-moranguinho chegou♪… – ela cantarolava pulando as escadas animadamente.
Eu: Falas, Miley!
Miley: Oi, Dav! Tudo bem? Tá fazendo o que, aqui? – ela dizia se sentando no sofá ao meu lado.
Eu: Esperando sua prima se arrumar pra gente poder ir!
Miley: que prima? A Memi? – assenti com a cabeça–… hunf, querido, desiste! Essa aí tá roncando lá no quarto dela…
Eu: Como??? Ela tinha subido pra se trocar, meu!
Miley: Ah, então, tadinha, deve ter pegado no sono meio a uma troca de roupa ou outra… também pudera, a menina quase não dormiu essa noite, só estudou pro exame de francês. Perdoa David!
Eu: Claro, não tem motivo pra raiva não… mas em compensação, agora eu não tenho mais com quem sair né?
Miley: Peraí, pra onde vocês iam???
Eu: Talvez tomar um milkshake, ou um sorvete, ou quem sabe um sundae, ou então…
Miley: Tou dentro! Amorzinho, agora você tem companhia! Bora sair! O shake, o sundae e o sorvete nos esperam!
Eu: M-mas é só um deles, e eu… – Ela me puxava pelo braço até fora de casa, e quando me dei conta já estávamos caminhando pela praça, perto de uma iogurteria. Como de costume, ela entrou e fez os pedidos rapidamente. Esperando o frozen yogurt chegar, começamos a conversar –… Mas, e então, Miley? Como vai a vida? E os seus pais?
Miley: Vai bem… eles prolongaram a viagem pra mais duas semanas, então, eu nem sei como eles estão ao certo… - ela deu um sorriso meia lua, e começou a alisar a mesa, minuciosamente -… E você?
Eu: Eu, moro com meus tios! O pai e a mãe estão cuidando do Cassino deles, em Vegas! Esqueceu?
Miley: Ah, é… você tem sorte de não ter pai e mãe no seu pé todo dia…
Eu: Do que você tá falando? Seu pai é aposentado da aeronáutica, sua mãe é socialite, e por incrível que pareça você é filha biológica – ela me olhou com raiva – eles pagam pela sua educação, deixam você levar um bando de primas e amigas pra morar com você e ainda viajam só pra te deixar mais a vontade, e você acha que eu tenho sorte?
Miley: É, porque seus pais podem ser distantes como os meus, mas pelo menos não ligam todos os dias perguntando qual a merda que você fez… perguntando se você anda comendo a mesa na hora da janta, e se já tomou vergonha e passou a estudar de verdade… eles são muito bacanas, eles te dão uma alta mesada, presentes ótimos e te deixam morar com seus tios, que são super amáveis… vê agora quem ganhou, Dav… – ela disse, em uma voz estridente e um pouco triste. Eu nunca ia imaginar que era assim o convívio da Miley com os pais dela, e olha que eu os conheço desde os cinco… ela estava realmente triste… não era nada legal vê-la assim…
Eu: My… foi mal, eu não era pra ter iniciado o assunto família, me desculpa, mesmo, tá?
Miley: que nada, cara! Foi até bom… têm vezes que eu preciso extravasar, e vocês garotos, são demais por me escutarem e não fazerem fofoca!
Eu: Hã… como assim nós garotos? Quer dizer que suas amigas são fofoqueiras?
Miley: Não é bem assim, mas tipo… vocês são dóceis, carinhosos, não competem, e não querem criticar o vestido e o penteado da amiga, rs… – nós dois rimos um pouco e o iogurte chegou em nossas mesas. Ela rapidamente se animou pra comer… e eu, bem, eu apenas a acoitei com o olhar, a gente sempre foi amigo, mas nunca íntimo, como eu senti que seríamos de agora em diante, e a sensação era muito boa…

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Currrrto o capítulo!
Obrigada aos comentários lindos dos capítulos anteriores!
Por favor, comentem! *-*
Beeijos!

sábado, 3 de setembro de 2011

Capítulo 19- parte 1

Gentew! Tudo bem??? Tou correndo agora com as introduções... muitos problemas!  E eu sei que todos tem, né? Mas, se Deus quiser, melhora! obrigada quem tá sempre lendo o blog, vocês são fofos demais *-*

Capítulo:

Joe on

… Eu nunca havia me sentido tão solitário assim antes… sem os meus amigos, o meu irmão e minha namorada… é, agora que eu não tinha mais, sentia falta dela… pena que a Emily e o David agora façam plantão pra eu não me aproximar da Demi… e o Taylor sequer me encara, só quer saber de andar com o Nick, o novo ‘melhor amigo’ dele… e o pior é que a vagabunda da Taylor fica se fingindo de santa, algo que com certeza ela nunca seria… ai, que pena, aula de educação física agora…
Professor: Handebol hoje. Quero dois grupos de quatro. Dois meninos e duas meninas em cada. Agora! Você, e você, tirando o time! – ele apontou pra Miley e pra Emily, que rapidamente começaram a escolher. A Miley escolheu o Taylor ¬¬’, a Emily escolheu o David ¬¬² , Miley escolheu uma menina que não me era estranha e… aa, eu já tinha ficado com ela! Sacal isso! Emily escolheu a Demi e o Nick de uma vez só, e só ficamos eu e uma menina de jeans, que na certa não ia praticar a aula… com a maior cara de cansaço do mundo, a Miley fez um sinal com as mãos pra eu me juntar a eles… Taylor, a garota que eu não lembrava o nome e Miley me encaravam completamente repulsados… aquilo me deixava tão triste… eles continuavam a bolar sua estratégia de jogo, e eu os olhava penosamente, sem a mínima retribuição… o apito havia sido soado, e então todos começaram a se dispersar e jogar…
Eu: … Ser o ultimo a ser escolhido, e ainda não participar da tática do próprio time é fogo! – sussurrei comigo mesmo, enquanto a Miley se mostrava próxima e me olhava um pouco incrédula.
Miley: não reclama, você fez por onde! – ela disse, se driblando e pegando a bola da mão da Emily, que já estava correndo na quadra –… Pega, Tay Tay! – Miley jogava a bola pro Taylor, que estava há uns, 4 metros de distancia dela e com a marcação do Nick e do David… bola pro outro time…
Eu: Por que não jogou pra mim? Eu tava bem do seu lado! – falei admirado ainda com sua ação. My fez um bico meio torto e se afastou bastante… no final das contas, todo mundo do meu time tocava na bendita bola, com exceção minha, é claro…

Miley on


… O jogo foi uma porcaria… a Ashley e o Joe no mesmo time que eu… só o TayTay salvou… mas ele mesmo… tava distraído que só hoje… aliás, ele anda assim a semana toda… também, pudera, problemas pra pensar é o que não falta pra ele coitado… o melhor é que a aula tinha acabado, e meu banhinho também… saía do banheiro lentamente a procura de alguém, mas fui sorteada duplamente… o gato e o Romeuzinho estavam conversando próximos ao bebedouro. Bônus!
Eu: … Heey, Soul Brothers… – disse me aproximando, em tom amigável. Os dois me encararam confusos e eu os retribuo entediada – Hey, soul sister… Train… ‘sisters’ ‘brothers’ – apontei pra eles ainda sem reação –… é um trocadilho, bosta! Deixa pra lá, só os inteligentes entendem…
Taylor: Nós entendemos Miley… o que você quer? – ai! Essa doeu… nunca imaginei ouvir isso do meu buddy TayTay…
Eu: Nossa, que grossura hein? Obrigada o apreço, nada não!Tchau! – ia me virando quando o Taylor me puxa pelo braço e faz voltar a encará-lo – ‘ O que você quer?’ – falei tentando imitá-lo.
Taylor: Podemos conversar a sós, My? Eu preciso de auxilio. Seriamente. – ele disse pausadamente. Eu o encarei, e ao fundo da pergunta, notei o gato, que sequer havia aberto a boca… eu pisei na bola mesmo… mas não era tarde…
Eu: Am, pode ser depois,Tay Tay? Se não se importa, eu gostaria de levar um ‘papo’ com o Nick agora. Se ele não se importar, é lógico! – o Taylor e eu, ao mesmo tempo, encaramos o Nick, que olhou pra baixo e deu de ombros. TayTay se afastou, e sorriu pra mim calmamente, eu acenei e o gato permaneceu como estava, até eu tocar de leve seu braço – Ni…
Nick: Fala, Miley!
Eu: Am… você ainda tá puto comigo?
Nick: eu não fico ‘puto’. Relaxa… – continuávamos a andar a caminho da saída da escola, e ele muito distante.
Eu: quero dizer… eu revi meus atos e reflexos e percebi que… talvez eu tenha exagerado mesmo… – ele me olhou como bem sarcástico, e voltou a encarar a frente –… Tá, eu errei muito mesmo, cara… mas olha, eu me arrependo, sério, Nick, me arrependo de corpo e alma… quem me dera uma máquina do tempo pra voltar há dois dias atrás e fazer tudo diferente…aliás, se eu pudesse voltar dois dias no tempo, eu nem levantava da minha cama pra fazer merda…
Nick: É aí que esta a coisa, My… não existe máquina do tempo… não existe reversor… ou qualquer invenção que nos faça voltar atrás… até porque se existisse, eu já teria experimentado mudar minha vida completamente… – ele falou, calminho,doce e frio, ao mesmo tempo. Era incrível a poli de sentimentos que ele conseguia causar em mim. Mas o que ele falou, era certo… de todos da galera, o Nick é o que mais sofre e não faz por merecer… ele merecia mudar a escritura da vida dele por completo, tadinho… inclusive as partes comigo presente…
Eu: É… – falei, cruzando os braços e esfregando uns aos outros com as mãos –… Me perdoa por tudo, Nick? Eu sei que é um pouco tarde pra dizer isso, mas…
Nick: My… eu não sou Deus, pra te perdoar… assim como você também não é pra me perdoar… uma coisa leva a outra… e a vida vai nos levando… e se não for o silencio da solidão, com quem mais nós vamos refletir nossos pensamentos?… eu não sei você, mas… isso funciona comigo… obrigado. – ele se afastou já no portão da saída… enquanto eu me dirigia a outro canto completamente deslocada… eu e o Nick já era mesmo…

Taylor on

Tudo tinha que estar perfeito… cabelo, roupa, sorriso… é, tudo é perfeito se tratando de mim, hahá… ultima olhada no espelho e… ai, credo, eu tou parecendo uma menina… mais especificamente falando, a Emily…sai de casa tranquilamente e entrei no carro respirando fundo… relaxa, man, ia dar certo, já fiz isso antes, duas vezes, e uma delas com a minha melhor amiga… a outra com uma porta de menina mas, intimidante de beleza e sentimentos também… mas não como essa … dirigia pensando: Tinha que ser único, especial e inesquecível… ah bah, esquece isso meu, a Miley disse que garota não se importa em como, apenas quem… não ia ser complicado assim… ainda mais do jeito que falam que ela tá na minha fita… pronto, em frente a casa … buzinei duas vezes… mais do que rápido ela saiu e lá… estava perfeita!
Tay: Oi! – ela falou bem doce, e olhou pro carro… engoliu seco e abriu a porta-… eu tenho mesmo que entrar aí? -… ela dizia, como se meu carro fosse uma armadilha mortal.
Eu: Não fala assim! E o caminho é longo, tenho certeza que você vai ficar cansada na metade dele! – sorri pra ela e abri a porta do passageiro do carro, e ao entrar, me deu um sorriso sem graça e tentou parecer natural… -
Tay: aonde vamos? – elas dizia, olhando da janela, esfregando as pernas e simulando não parecer nervosa.
Eu: Você vai ver… mas… só depois de me contar o porquê de engolir seco e encher os olhos de lágrimas toda vez que entra num carro! – eu disse, tentando não pressioná-la, mas tendo uma resposta frustrada… ela me olhou tremula, quase sem conseguir falar… -…Problema?
Tay: Não… am, a gente já tá junto há um tempo… você vai ter que saber qualquer hora, independente da nossa relação ou não… - ela disse, piscando profundamente os olhos. Duas lentas lágrimas rolaram por seu rosto, e sua voz fina começou a fraquejar… mas se era alguma coisa que precisasse saber, pelo jeito era algo extremamente triste…

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Taí o capítulo! Muito obrigada as palavras doces de quem comenta e fortalece as minhas energias! Eu sempre peço pro vocês nas minhas preces! obrigada mesmo!
Beeeeijos!
Cuidem-se ;D